Conheça os 15 indicadores financeiros essenciais de uma empresa

Para que uma empresa prospere, é muito importante saber analisar os resultados operacionais obtidos. Portanto, entender os demonstrativos financeiros de um negócio é um ponto-chave para você, empreendedor, analisar o desempenho do seu negócio. Dessa forma, é necessário saber o que significa e quais são os indicadores financeiros de uma organização.

Vale ressaltar que sem recursos para investir e cumprir com as obrigações, a empresa não poderá crescer de forma sustentável. Por isso, uma gestão eficaz necessita que os dados sejam processados e organizados de uma maneira que propiciem uma avaliação com celeridade e eficiência. 

Para observar apropriadamente a administração desses recursos, é necessário ter conhecimento sobre os principais indicadores financeiros de sua empresa. Dessa forma, será muito mais fácil ter uma noção sobre a situação de uma organização para, posteriormente, definir estratégias e planos de ação para ter melhores resultados em longo prazo.

O que são os indicadores financeiros de uma empresa?

Os indicadores financeiros de uma empresa são os valores calculados por meio dos números obtidos nos demonstrativos de resultados do negócio. Portanto, sua principal finalidade é proporcionar informações que ajudem na análise da performance de sua empresa e para que você tome decisões mais precisas para o seu negócio. 

Resumindo, os indicadores financeiros servem para:

  • Diagnosticar o desempenho passado;
  • Fornecer parâmetros e contribuir para o estabelecimento de metas para o planejamento financeiro;
  • Ser a base para o monitoramento da execução desse planejamento.

Principais indicadores financeiros de uma empresa

A seguir, você irá conferir 15 indicadores financeiros essenciais de uma empresa:

1- Margem Bruta

O que é:

A Margem Bruta mostra quanto sua empresa ganha ao vender um produto ou serviço depois de descontar as despesas para produzi-lo e vendê-lo.

Como calcular:

Margem bruta = (Lucro bruto/receita total) x 100

Obs.: para que a sua conta seja precisa, não esqueça de inserir todas as suas vendas na receita total e de incluir todas as despesas diretas ao calcular o lucro bruto.

2- Margem EBITDA

O que é:

Já a Margem EBITDA (também chamada de LAJIR – Lucro Antes de Juros e Imposto de Renda) é o acrônimo em inglês para Earning Before Interests, Taxes, Depreciation and Amortization e representa a quantidade de geração operacional em caixa de uma empresa, ou seja, o quanto a empresa gera de lucro (ou prejuízo) apenas em suas atividades operacionais, sem considerar os efeitos financeiros e de pagamento de tributos. Assim, a Margem EBITDA fornece as informações sobre o valor e impacto das vendas no caixa.

Como calcular:

Para definir a EBITDA, é preciso construir um demonstrativo. No entanto, sua fórmula simplificada seria: 

EBITDA = Lucro Operacional Líquido + Depreciação + Amortização

3- Margem Líquida

O que é:

A Margem Líquida, por sua vez, irá indicar o que restou do valor de vendas após a dedução de todas as despesas (incluindo o imposto de renda). Dessa forma, a Margem Líquida mostra qual é o lucro líquido para cada unidade de venda da empresa. Assim, quanto maior for a margem líquida, maior será a sobra que a empresa terá após o recebimento das vendas e a retirada de todas as taxas e deduções.

Como calcular:

Margem Líquida = Lucro Líquido após os Impostos / Receita Total x 100.

4- Margem de Contribuição

O que é:

A Margem de Contribuição (MC) representa a porcentagem da venda de cada produto/serviço que contribuirá para a empresa dar conta de todos os custos e despesas fixas e ainda obter lucro. Desse modo, saber a Margem de Contribuição que as vendas geram é essencial para o planejamento de qualquer empresa e para poder tomar decisões relativas a investimentos e crescimento do negócio. Se a MC não for interessante, sua empresa pode estar tendo um ótimo desempenho na vendas, no entanto, mesmo assim pode estar tendo prejuízo.

Como calcular:

Margem de Contribuição = Valor das Vendas – (Custos Variáveis + Despesas Variáveis).

5- Ponto de Equilíbrio

O que é:

Ponto de Equilíbrio é o número de receitas mínimas que uma empresa precisa para cobrir todos os seus custos e despesas. É importante conhecê-lo para que se possa ter em mente o quanto é necessário vender, no mínimo, não tendo nem lucro nem prejuízo, para que a empresa não tenha de recorrer a outras fontes de recursos para honrar seus compromissos. Por isso, esse indicador é muito utilizado para estabelecer metas de vendas. 

Como calcular:

Ponto de Equilíbrio Contábil = Custos e Despesas Fixas/Índice da Margem de Contribuição

6- Liquidez Corrente

O que é:

A Liquidez Corrente aponta o valor monetário que uma empresa possui para receber a curto prazo, associado ao valor que necessita pagar no mesmo período de tempo. Em suma, este índice irá indicar a situação da empresa se ela possui recursos para cumprir suas obrigações em um curto prazo. Por conseguinte, o cálculo é feito por meio do ativo circulante dividido pelo passivo circulante.

Como calcular:

Liquidez Corrente = Ativo Circulante / Passivo Circulante.

7- Liquidez Seca

O que é:

A Liquidez Seca é um parâmetro do meio empresarial utilizado para quantificar a capacidade que uma companhia tem de quitar as suas obrigações a curto prazo. Para tanto, apenas o capital que pode ser transformado em dinheiro rapidamente, ou seja, tem alta liquidez, é considerado como fonte financeira. Dessa forma, a liquidez seca faz parte de um grupo chamado de Indicadores de Liquidez, juntamente com a liquidez corrente, a liquidez geral e a liquidez imediata. A missão desse grupo é relacionar, a partir do balanço patrimonial da empresa, o aporte de ativos e passivos e o potencial de quitação das dívidas. Para os investidores, é um instrumento importantíssimo para analisar a saúde financeira das companhias e indicar bons investimentos.

Como calcular:

Liquidez Seca = (Ativo Circulante – Estoque) / Passivo Circulante.

8- Índice de Cobertura de Juros

O que é:

Este indicador mostra a capacidade da empresa de saldar os juros contratuais de suas dívidas e empréstimos sem levar ao comprometimento do valor gerado em caixa. Assim, uma das fórmulas mais usadas para o cálculo do índice de cobertura de juros é utilizar o valor do lucro antes do pagamento dos juros e impostos (EBITDA) e dividir pelas despesas financeiras brutas. Com esse índice, é possível ter uma noção mais ampla da influência dos juros e dívidas sobre seus negócios e definir estratégias para reduzir o impacto sobre o seu caixa.

Como calcular:

Indicador de Cobertura dos Juros = EBITDA / Pagamento das Despesas com Juros.

9- Índice de Endividamento Geral

O que é:

O Índice de Endividamento é um dos indicadores financeiros que podem ser obtidos por meio da análise das demonstrações contábeis de uma empresa. Portanto, ele é uma importante ferramenta para medir o grau de risco que um empreendimento gera em suas operações. O endividamento, em grau moderado, é algo comum nas empresas, afinal, em algum momento de sua existência será necessário obter recursos de terceiros para fomentar a atividade. Entretanto, quando esse volume de dívidas fica muito grande, a empresa pode correr sérios riscos.

Como calcular:

EG = (Capital de terceiros / Ativos totais) x 100.

10- Retorno sobre Investimento (ROI)

O que é:

O Retorno sobre Investimento (ROI), possivelmente, seja o indicador mais importante. Seu cálculo é simples: divisão do lucro líquido pelo total de ativos do balanço. Desse modo, é ele que vai te responder se a sua empresa é viável ou não, se for calculado corretamente baseado em números confiáveis.

Como calcular:

ROI = (Ganho obtido – Investimento) / Investimento.

11- Retorno sobre o Capital Investido (ROIC)

O que é:

Trata-se de um índice que mede o retorno sobre o capital total investido. Em outras palavras: é a soma do capital próprio acrescido do capital de terceiros. Dessa forma, ele se torna um indicador bastante abrangente, capaz de mostrar com bastante exatidão o desempenho financeiro de uma empresa.

Como calcular:

Valor do lucro operacional líquido após os impostos dividido pelo capital total investido da empresa (capital próprio + capital de terceiros).

12- Giro do Estoque

O que é:

O giro de estoque é uma ferramenta que aponta a circulação das mercadorias, ou seja, quantas vezes elas foram vendidas e respostas completamente no armazém. Ele é um indicador muito importante para avaliar se a gestão do estoque é eficiente, mostrando se há equilíbrio entre compras e vendas dos produtos. Quanto mais eles forem vendidos, maior é o giro de estoque.  No cenário ideal, o estoque não tem mercadorias em excesso nem em falta. Dessa forma, o local não fica lotado, o que ocupa muito espaço e aumenta os custos de armazenagem, mas também não falta nenhuma matéria-prima para a fabricação dos itens ou produtos para enviar aos clientes.

Como calcular:

Giro de Estoque = Total de Vendas / Volume Médio de Estoque

13- Capital de Giro Líquido

O que é:

O Capital de Giro Líquido (CGL) é um indicador de liquidez utilizado pelas empresas para refletir a capacidade de gerenciar as relações com fornecedores e clientes. Assim, o objetivo da administração financeira é gerenciar os bens da empresa de forma a se encontrar o equilíbrio entre lucratividade e risco de forma a aumentar o valor da empresa.

CGL negativo. Nesse sentido, é possível identificar que a empresa está com deficiência em seu capital de giro, significando que parte de seu ativo não circulante (permanente) está sendo financiada com seus passivos a curto prazo, denotando um quadro de risco.

Quanto maior for o CGL da empresa, menor será seu risco de insolvência. No entanto, um CGL muito alto significa que expressivos fundos de longo prazo estão financiando parte dos ativos circulantes. Assim, como os custos destes recursos são sempre mais elevados, isto pode se tornar um problema financeiro para a instituição.

Como calcular:

Capital de Giro Líquido (CGL) = Ativo Circulante (AC) – Passivo Circulante (PC)

14- Ativo Circulante

O que é:

O Ativo Circulante representa os recursos disponíveis a curto prazo (caixa, bancos, aplicações financeiras, contas a receber, estoques etc)

15- Passivo Circulante

O que é:

Passivo Circulante representa os financiamentos a curto prazo da empresa (fornecedores, contas a pagar, empréstimos etc.)

Relatórios contábeis importantes

Ademais, o empreendedor pode utilizar como apoio em suas análises e no seu gerenciamento financeiro outros importantes relatórios. São eles:

Balanço Patrimonial

O Balanço Patrimonial é um relatório contábil que tem por objetivo avaliar a situação patrimonial e financeira de um negócio, em um determinado período de tempo. Portanto, este período é de 12 meses. Nesse sentido, ao contrário de muitos dos relatórios que fazem parte da área de finanças, o balanço procura visualizar a empresa e seus bens como um todo. com o propósito de fazer uma gestão financeira de uma empresa, o balanço patrimonial é um dos documentos mais importantes. Realizado junto com a DRE, o relatório patrimonial é essencial para avaliar a viabilidade econômica da empresa. Além disso, contribui para a análise dos resultados durante determinado período e embasar decisões estratégicas.

Controle orçamentário

O orçamento empresarial é um dos principais indicadores financeiros utilizados pelas organizações com o intuito de estimar receitas e despesas em um dado período de tempo. Dessa maneira, você pode alocar recursos para uma ação ou um investimento que sua empresa precisa realizar. O controle orçamentário é uma importante ferramenta de gestão, pois o seu acompanhamento possibilita que sejam apurados o cumprimento das metas, o emprego correta dos recursos e, perante alguma dissonância entre o que foi previsto e o que foi efetivamente realizado, adotar medidas que levem sua empresa a retomar a proposta inicial. 

Fluxo de Caixa

Um dos grandes motivos de falência das empresas é o fato de não gerenciar adequadamente o que entra e o que sai no caixa da organização. Dessa forma, o fluxo de caixa é uma ferramenta que permite avaliar os resultados diariamente e projetar estimativas futuras. 

Resultado Operacional de Caixa

É o quanto de caixa a operação da sua empresa gera sem levar em conta itens como empréstimo ou retirada de sócios. Portanto, fatores não operacionais maquiam resultados, por isso é importante observar a saúde da operação pura, sem a influência de itens que não fazem parte do objetivo da sua empresa, para fazer um bom planejamento de recursos.

Mais relatórios

Geração de Caixa

Este índice aparece na última linha do fluxo de caixa. É o quanto sobrou ou faltou, efetivamente. Um caixa positivo não é necessariamente um bom sinal. Por isso, é importante avaliar em conjunto com os outros indicadores. Assim, ao se obter um resultado positivo da geração de caixa, você deve avaliar se os resultados futuros poderiam ser ainda melhores. No entanto, caso o resultado aferido seja negativo, você deve avaliar como está a gestão de sua empresa e procurar detectar o que levou a esse resultado ruim. 

Resultado Operacional

Na Demonstração do Resultado do Exercício (DRE), é primordial avaliar o resultado operacional. Assim sendo, esse índice propicia uma análise de toda a operação da empresa. Depois de apurar as receitas, deve-se ainda deduzir as despesas operacionais. Isto é: custos necessários para manter sua empresa em operação. Tratam-se das despesas como aluguel, telefone, salários, encargos trabalhistas, gastos com marketing etc.. 

Resultado Líquido

Chamado lucro, ele fica na última linha do demonstrativo contábil de resultados. O lucro não leva em conta: os riscos de empreender; o custo de oportunidade do capital empregado; se há ou não dinheiro em caixa. Ter lucro não significa, necessariamente, ter sobra de dinheiro na empresa, até porque na DRE não são consideradas saídas como empréstimos, compras de imobilizados, estoques não vendidos e retiradas de sócios. 

Conhecendo melhor seu negócio

Ter conhecimento sobre todos esses indicadores financeiros de uma empresa, bem como dos relatório citados acima é fundamental. Entretanto, você, empreendedor, precisa conheça-los profundamente. Ademais, você terá de saber interpretá-los apropriadamente.

Ao entendê-los, você conhecerá melhor o seu negócio, seus pontos fortes e fracos. Por conseguinte, você pode por em prática um planejamento estratégico adequado e realizar mudanças em busca de resultados cada vez melhores.

É muito importante que sua empresa tenha um bom contador . Dessa forma, você poderá fazer uma análise precisa da situação financeira de sua empresa e, assim, tomar medidas pertinentes. Com a finalidade de te ajudar nessa missão, você pode contar com a ILS Contabilidade que tem uma equipe de alto nível de capacidade técnica para te propiciar um raio-x de seus negócios.

Artigos Relacionados

Próximo post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Populares

Sobre

ILS Contabilidade

A ILS Contabilidade é uma empresa de Contabilidade especializada em consultoria e assessoria de empresas.

Redes Sociais

Dicas Empresariais

Newsletter

Recebe nossas atualizações e novidades.