Como reduzir impostos em sua empresa

Pequenas Empresas: evite esses 5 erros comuns
18 de fevereiro de 2019
7 dicas para fidelizar seus clientes
4 de março de 2019

O Brasil é conhecido por possuir uma das maiores cargas tributárias do mundo. Desta forma é natural que empresários de todos os setores busquem reduzir impostos. Uma forma de se fazer isso totalmente dentro da lei é através da elisão fiscal.

Você já ouviu falar desta estratégia de redução de impostos? Sabe como criar a melhor estratégia fiscal para o seu negócio?

Se você tem dúvidas sobre o assunto acompanhe este texto até o final e prepare-se para reduzir os impostos de sua empresa.

O que é elisão fiscal?

Elisão fiscal é um conjunto de ações contábeis que visam otimizar a forma como empresas e pequenos negócios lidam com a tributação de encargos do governo.

Em outras palavras é uma forma de gestão contábil que reduz os encargos ao enquadrar a empresa em modelos legais mais vantajosos no que se refere ao pagamento de impostos.

A principal função da elisão fiscal é reduzir impostos de maneira legal. Vale lembrar aqui que há formas de redução de impostos que não são legais, como a evasão e a sonegação fiscal. Tais práticas não são recomendadas pois, além de serem crime previsto em lei, podem gerar multas e até mesmo a prisão do empresário que as pratique.

A elisão fiscal é geralmente posta em prática por contadores ou especialistas em finanças com bastante conhecimento sobre o cenário tributário nacional.

Este é um projeto que deve ser revisto de tempos em tempos, pois os modelos de cobranças de impostos empresariais no Brasil variam ao longo dos anos.

Assim, um projeto de elisão fiscal que parecia muito bom há quatro anos atrás pode não ser vantajoso hoje.

Outra característica da elisão fiscal é a necessidade de um profundo conhecimento sobre a empresa. O contador deverá analisar atenciosamente o estilo do negócio, seu faturamento, sua presença no mercado e perspectivas de crescimento.

Modelos de elisão fiscal criados para pequenas empresas que crescem rapidamente precisam ser reformulados periodicamente para que o negócio continue tendo vantagens fiscais mesmo diante de um aumento do faturamento.

Essa é uma prática que exige experiência, profundo conhecimento de legislação tributária e foco nas principais tendências do mercado. Portanto o primeiro passo para um projeto de elisão fiscal eficiente é contratar um serviço de contabilidade confiável e experiente.

Como reduzir impostos?

Pagar menos impostos no Brasil não é tarefa simples, mas também não é impossível.

Embora a maioria dos empresários esteja insatisfeita com a altíssima carga tributária, não tem outro caminho: é adaptar-se ou fechar as portas. Com um pouco de planejamento e atenção é possível encontrar um caminho menos árduo na hora de pagar seus impostos. Confira algumas dicas:

Tenha ao seu lado um bom contador

Avaliar os diversos caminhos para um projeto tributário sob medida para sua empresa é tarefa para o contador. Só ele saberá como reduzir impostos, fazer adequações e garantir que sua empresa esteja em dia, sem comprometer o seu rendimento nem deixar de pagar o que a lei manda.

Aqui na ILS Contabilidade você encontrará uma equipe de primeira linha preparada para desenvolver os melhores modelos de adequação tributária, garantindo que sua empresa pague menos impostos e se mantenha em dia com suas obrigações.

Acompanhe de perto os gastos com impostos

Muitas empresas apenas confiam ao contador a responsabilidade de gerir seus impostos. Até aí nada fora do comum, afinal, o contador conhece melhor do que ninguém como funciona a arte de reduzir impostos.

Mas não se esqueça: é fundamental que o empresário saiba detalhadamente o quanto está pagando de impostos. De outro modo torna-se impossível a criação de uma uma estratégia empresarial sem saber quanto do seu lucro vai parar nos cofres públicos.

Qual o seu montante de impostos pagos mensalmente? Eles representam quanto do seu faturamento? 20%? 30%? Mais do que isso?

Tenha sempre em mente que os gastos com impostos são tão importantes quanto os gastos com funcionários, fornecedores ou com despesas fixas, especialmente porque esses gastos estarão muitas vezes atrelados ao seu faturamento.

Converse com seu contador sobre o melhor regime tributário

Há três tipos de regimes de tributação que podem ser adotados por sua empresa: Simples Nacional, Lucro Presumido e Lucro Real.

Cada um desses modelos tem suas particularidades e atendem diferentes tipos de negócio como veremos adiante:

  • Simples Nacional: neste regime tributário os valores de alíquotas são menores e há uma considerável simplificação tributária. Sua empresa pagará apenas um imposto no lugar de diversos tributos avulsos. Enquadram-se neste modelo empresas com receita bruta de até 3.6 milhões ao ano.
  • Lucro Real: este regime é obrigatório para empresas com faturamento superior a 78 milhões de reais por ano e empresas que atuam no setor financeiro. Neste caso os impostos são calculados em cima do lucro líquido da empresa, o que obriga o empresário a ter um controle ainda maior sobre suas contas.
  • Lucro Presumido: esta é uma forma de tributação simplificada para determinação da base de cálculo do Imposto de Renda (IRPJ), e da Contribuição Social Sobre o Lucro Líquido (CSLL) das pessoas jurídicas. É muito utilizado por simplificar a tributação empresarial. O percentual varia de acordo com o ramo de atuação e é voltado para empresas com faturamento de até 78 milhões de reais ao ano.

Portanto é fundamental que você saiba qual o regime ideal para sua empresa. Mais uma vez tudo depende de um contador experiente capaz de lhe orientar pelo melhor caminho.

Fique atentos aos benefícios fiscais

Nem só de altos impostos é feito o mundo empresarial no Brasil. O poder público possui diversos mecanismos de incentivos fiscais para empresas de todos os setores e tamanhos.

Um dos projetos mais conhecidos é a famosa Lei Rouanet, que gera redução no IRPJ para empresas que contribuem para os projetos culturais selecionados.

No mesmo estilo em São Paulo existe o ProAc, um modelo de incentivo fiscal que reduz as alíquotas para empresas que atuam em projetos culturais em diversas áreas.

Outros projetos de incentivos fiscais são:

Projetos federais:

  • Lei do Audiovisual,
  • Vale-cultura,
  • Lei Federal de Incentivo ao Esporte,
  • Fundo Nacional do Idoso,
  • Incentivo ao Programa de Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico da Indústria de Equipamentos para TV Digital,
  • Benefícios fiscais para as empresas da Tecnologia de Informação,
  • Conjuntos de Incentivos para a Lei da Informática.

Projetos estaduais (São Paulo):

  • PIE — Lei de Incentivo ao Esporte,
  • SPTec — Sistema Paulista de Parques Tecnológicos,
  • ProAC — Programa de Ação Cultural,
  • Redução da alíquota do ICMS para empresas do setor de couro e calçados, produtos alimentícios, cosméticos, brinquedos e outros

Como podemos ver a variedade de benefícios é enorme e vale a pena pesquisar pelos melhores modelos que se adequam a sua empresa.

Resumindo

Reduzir impostos é um grande desafio para o microempresário brasileiro.

Mas saiba que com a ajuda de um bom contador é possível utilizar a elisão fiscal a seu favor. O importante é estar dentro da lei e acompanhar de perto os principais modelos de gestão tributária.

Cada empresa tem uma necessidade específica e é preciso ficar atento para não cometer erros no enquadramento de alíquotas.

Desta forma seu negócio se mantém em dia com os tributos e economiza uma grande quantia mensalmente.

Os comentários estão encerrados.